segunda-feira, 11 de julho de 2011

SEITA: LEGIÃO DA BOA VONTADE -LBV

LEGIÃO DA BOA VONTADE – LBV
FUNDADOR - Alziro Elias David Abraão Zarur  (1914-1979).  
HISTÓRIA - Zarur teria recebido uma mensagem de Jesus,que lhe mandava ensinar o sentido prático de João 13.14: “Novo Mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros”. As raízes da LBV, fundada oficialmente em 1950, estão no programa Hora da Boa Vontade, pela Rádio Globo, do rio de Janeiro, em 1949, apresentado pelo então radialista Alziro Zarur. Ensinava que sua organização era a quarta e última revelação de Deus; as três anteriores foram o judaísmo, o Cristianismo e kardecismo.
ESCRITURAS - O Livro de Deus é a Bíblia do terceiro milênio. A Bíblia não é inspirada e está cheia de erros e contradições.
DEUS - Deus é inteligência infinita; um poder impessoal que controla o universo.
YESHUA - Não nasceu de uma virgem; não teve corpo físico; não é Deus; não foi crucificado para remissão de pecados.  Yeshua começou como todos os homens; foi alma simples e ignorante; evoluiu em outro mundo e desenvolveu Seu Espírito em muitas encarnações.
ESPÍRITO SANTO - O Espírito Santo é uma falange de espíritos superiores.
SALVAÇÃO - Aceitam a reencarnação e dizem que a fé em Cristo não conduz à salvação, esta somente será alcançada  mediante boas obras
MORTE - Após a morte a alma segue para o mundo dos espíritos e ficará aguardando o tempo para reencarnar.
OUTROS ENSINOS - Céu e inferno não existem; não há ressurreição do corpo; não há julgamento após a morte; seu fundador cultuava seu irmão Satanás. A seguir o poema que ele escreveu:
"Poema do irmão Satanás"
“Lembro-me bem: eu era uma criança / Calada e triste, sem saber porquê / Menino, ás vezes, pensa / E também vê Que é triste o carnaval da vizinhança”. Em minha paz de criança pessimista / Desconfiada de risos e festinhas / Ninguém sabia ler as mágoas minhas / Naquele isolamento fatalista. Um dia, eu fui com meus irmãos à igreja / E um padre perturbou a minha paz:/ Ele falou de um certo Satanás / Que as almas brutalizam e mercadejam. Mas falou com uma raiva tão bravia / Do Diabo vil com um coração de pau, / a Que eu perguntei à minha mãe avó Maria: / - Será que o Diabo é mesmo assim tão mau? E Lúcifer com todo o seu quartel  / Me preocupou, de fato, muitos anos: / Quis, até devassar os seus arcanos, / Aprofundando a história de Lusbel. Mais tarde, eu fia a Bíblia de manhã -/ E são 66 livros ou partes -/ Para surpreender todas as artes/  Daquele infernalíssimo Satã. Até que, um dia, o Novo testamento / Me revelou, na sua estranha luz, / O Sermão da Montanha, de Jesus, /  Que não me saiu mais do pensamento. Fiquei pasmado, oh! sim, perante aquelas / Palavras da misericórdia-mor! / E tanto as li que, até hoje sei de cor / Estas palavras mansamente belas: "Bem-aventurados os humildes,/ porque deles é o reino do céu./ Bem-aventurados os que choram,/  porque eles serão consolados/ pelo próprio Deus./  Bem-aventurados os pacientes, /  porque possuirão a terra. / Bem-aventurados os que têm fome / e sede de justiça, / porque terão o amparo / da Justiça Divina. Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia. / Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão Deus face a face./  Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus./  Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da Verdade, porque deles é o reino do céu. Bem-aventurados sois vós quando vos perseguem, quando vos injuriam e, mentindo, fazem todo o mal contra voz por minha causa. / Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão no céu. / Ouvistes o que foi dito: amarás teu amigo e odiarás teu inimigo. / Eu, porém vos digo: amai até mesmo aos vossos inimigos. / Bendizei àqueles que vos maldizem; fazei bem àqueles que vos odeiam; orai por todos aqueles que vos perseguem e maltratam...” Nessa altura, já entrara em minha vida / - E lhe fiz um cordial salamaleque / A obra portentosa de Kardec, / A jorrar na Bíblia envelhecida. Na grande Metapsíquica dos sábios, /  Que estudam essas coisas sem rituais, /  Algumas perguntinhas, bem banais,/  Naturalmente vieram aos meus lábios:
- Se Deus sempre é perfeito no que faz / E nada do que fez ao mal destina,/  Por que odiarmos nós a Satanás / Se ele, também, é criação divina?
- E, se JESUS nos veio esclarecer / Que amássemos até "ao inimigo" / Por que não transformar num bom amigo / A Satanás, em vez de o combater?
Amigos meus, oremos por Satã, / Amemo-lo de todo o coração, / E respondamos sempre com perdão / Aos males que nos faça, hoje e amanhã. E, um dia, todos nós iremos ver / Satanás redimido, a trabalhar / Por aqueles que veio tresmalhar / Dos rebanhos do Cristo, e reviver Porque se assim, amigos, não quiserem/ Aqueles que se chamam "os cristãos", / Lavemos, desde já as nossas mãos, / Antes as iniqüidades que fizeram.
Por mim, com honra, eu amo Satanás,/ Meu pobre irmão perdido nos infernos, / Pra que ele, também receba a paz”.
(Este poema está escrito no livro "Mensagem de Jesus Para os Sobreviventes" - uma das obras mais famosas de Alziro Zarur, fundador da LBV, pág. 130/132/133).

Nenhum comentário:

Postar um comentário